Saltar para o conteúdo

Carpe Diem… online

2019/10/13
by

Já é possível jogar a uma das últimas criações de Stefan Feld, Carpe Diem.

Carpe Diem foi um dos finalistas do melhor jogo do ano (JUG 2019) e está agora disponível para jogar online na comunidade Yucata.de

Uma excelente notícia de um excelente jogo!

Anúncios

JUG 2019

2019/10/07
by

Este ano a lista de finalistas ao nosso prémio é um primor de qualidade e o difícil foi mesmo decidir a quem atribuir o lugar cimeiro nas duas categorias do prémio!

Mas a decisão impôs-se e cabe-nos agora revelar os vencedores…

O vencedor na categoria JUG 2019 foi:

O vencedor na categoria JUGuinho 2019 foi:

Desejamos os mais sinceros parabéns aos finalistas e muito em particular aos dois vencedores!

47.º Encontro de Jogos de Tabuleiro de Aveiro (SBR)

2019/10/01
by

Por Nuno Rebelo

Este foi o encontro que marcou o nosso regresso a São Bernardo. E como tínhamos de celebrar resolvemos começar às 15h.

Também era uma sessão especial porque tínhamos na nossa ludoteca alguns dos jogos candidatos aos prémios do Blog: JogoEu.

O primeiro jogo na mesa foi Luxor. Quatro destemidos aventureiros avançaram no templo em buscas de bons tesouros, já que nenhum deles me pareceu ter ganho o euromilhões esta semana.

Noutra mesa abriu-se a caixa de Illusion. Um jogo de cartas muito coloridas, cheias de padrões, formas e letras. Objetivo: ordenar de forma crescente a carta com mais cor, ditada pela seta que é revelada nessa ronda. Mas não é fácil, e se um dos adversários desconfia da nossa ordem, pode virar as cartas e ver qual a percentagem dessa cor. Se a desconfiança se comprova, ganha a carta de seta dessa ronda, caso contrário perde-a.

A tarde estava a ficar animada quando chegaram alguns miúdos com os seus pais. Com crianças o ambiente muda logo e o tipo de jogos também. Rapidamente escolheram os jogos que mais os encantavam e lá jogaram: Dobble, Gobbit, Zicke Zack e Valley of Kings.

Orbis foi outro jogo que saltou para a mesa numa partida a 3 jogadores. Aqui, cada um assumiu o pele de um deus na criação do seu universo. Um jogo de coleção de cor e colocação de peças, para obter determinados padrões que nos dão pontos. Foi a primeira experiência para todos os “deuses” por isso não correu nada mal.

A Alley Cat Games prepara-se para lançar para o ano Tungaru. Um jogo que simula a vida dos indígenas que tinham de andar de ilha em ilha para sobreviver e expandir a sua tribo. Um jogo que se apresenta como um eurogame apimentado, com recurso a dados. Este jogo também esteve na mesa. Claro um protótipo para playtest. Quem o jogou pareceu animado, apesar da curva de aprendizagem.

E por falar em novidades. Tivemos a felicidade de, no dia da apresentação do jogo, termos jogado Porto. Os jogadores de Aveiro estão em cima das novidades!

O jogo tem uma aposta forte nas ilustrações. Desde o tabuleiro, que tem nas suas costas a própria ilustração do tabuleiro sem as marcas para o setup, passando pelas cartas com elementos muito característicos portuenses. Parece que estás mesmo a olhar para a ribeira do Porto.

Bom, fora isso, vamos ao jogo. As regras são fáceis de explicar. Cada construtor recebe objetivos individuais que tentará cumprir. Envolvem determinados pares ou trios de edifícios de cores respetivas, ou construir de forma equilibrada, entre outros. No tabuleiro estão ainda disponíveis objetivos públicos, que se ganham por jogar determinado número de cartas ou construir certos e determinados padrões de andares. 

A coleção de cartas é algo muito simples, mas que dá dinâmica ao jogo pois, para construíres terás sempre de jogar duas cartas, uma referente à cor outra ao número de andares.

Fui um dos felizardos envolvidos na construção da ribeira do Porto e gostei!

Bem, gostei de tudo exceto aquele cor rosa elétrico de um dos marcadores!

Mal saímos do Porto fomos diretos a Coimbra, mas a uma Coimbra medieval, uma das grandes cidades do Reino de Portugal.

Três dos quatros jogadores eram estreantes e em cerca de 35 minutos lá aprendemos as regras, mais complexas que as de Porto.

Aqui é preciso estares com muita atenção, porque há pequenas nuances no jogo, que te fazem andar do teu tabuleiro individual para as várias zonas do tabuleiro central, contando pontos em vários marcadores durante o teu turno. É o chamado “cá e lá”. Um jogo com coleção de cores, seleção de cartas de personagens com habilidades especiais e uma corrida aos maiores mosteiros do reino.

Piepmatz é um pequeno jogo de cartas onde através de gestão de mão e coleção de conjuntos, consegues fazer pontos colecionando pássaros e sementes. As ilustrações das cartas são bonitas, sendo quase científicas. Jogas e ainda aprendes a observar aves. Os jogos estão sempre a ensinar-nos coisas novas!

Por fim, quero falar-vos de Citadels. No nosso encontro o jogo, juntou 7 jogadores à volta da mesa. Objetivo do jogo: Adquirir ouro e construir edifícios. Por ronda todos escolhem uma personagem que possui uma determinada acção. A interação entre os jogadores é garantida, pois existem personagens que impedem as outras de jogar nessa ronda, outras que roubam o ouro e algumas que destroem edifícios dos adversários.

Algumas mecânicas do jogo: drafting de cartas e de acções, alteração da ordem de turno, coleção de grupos e poderes variáveis das personagens.

O grupo pareceu animado por isso diria que tiveram um bom momento!

Ao longo do dia ainda se abriram as caixas de Jaipur, Sagrada, Round the World, Ticket to Ride Europa, Keltis, entre outros.


E foi mais um encontro de jogos de tabuleiro do GBA!

Vem aí… Throne of Allegoria

2019/09/19
by

A editora alemã Spielworxx, conhecida por lançar jogos de estratégia mais pesados, tem desde hoje em pre-venda o novíssimo Throne of Allegoria.

Throne of Allegoria é um jogo de Robin Lees e Steve Mackenzie para 2 a 4 jogadores com mais de 12 anos e uma duração aproximada de 75 a 150 minutos. A ilustração do jogo é de Harald Lieske.

Neste jogo baseado na temática medieval, os jogadores vão tentar conquistar o trono de Allegoria, procurando ser dignos dessa aspiração individual. Usando os mecanismo de colocação de trabalhadores, com poderes distintos e pontos de ação, os jogadores vão tentar levar a bom porto a conquista da coroa!

Para quem já está a salivar e anseia ardentemente por gastar 74€ para ficar com uma das 1000 cópias do jogo, fica AQUI o endereço da pré-reserva.

Wingspan… pela Diver

2019/09/17
by

A Diver Centro assumiu o risco e vai trazer para Portugal a versão portuguesa do aclamdo Wingspan que ganhou recentemente os prestigiados prémios:Kennerspiel des Jahres e o Deutscher Spielepreis.

A distribuidora nacional conta já com um catálogo bem extenso de títulos e arranca agora com uma campanha promocional para a versão portuguesa do jogo dos passarinhos. O lançamento foi anunciado para dia 7 de outubro.

Os interessados poderão saber mais AQUI.

46.º Encontro de Jogos de Tabuleiro de Aveiro

2019/09/15
by

By Nuno Rebelo

O calor da noite de sexta-feira (13) marcou o regresso dos encontros de jogos do Grupo de Gameboarders de Aveiro depois das férias de verão. O encontro também foi especial porque estavam disponíveis muitos dos títulos que são candidatos aos prémios JUG e JUGuinho.

Voltámos a reencontrar a nossa família dos jogos, mas nem houve tempo para falarmos de férias e de “onde foste?”, “Que fizeste?”. Todos queriam meter a mão nos jogos e jogar!

Calor, amigos, Portugal, reencontro = a festa e festa é um Arraial. E foi assim que começou a noite à volta do jogo Arraial.

Um jogo fácil de aprender e que nos remete para os nossos anos 80-90, quando passávamos algum tempo a jogar tetris. As peças têm ilustrações muito bonitas e vão sendo tiradas à vez para o nosso tabuleiro, que mais não é do que a nossa rua. Cada jogador tenta atrair para a sua rua o maior número de visitantes possível. 

Numa outra mesa abriu-se Century: Spice Road, jogado a dois. Bom, a três. Também veio o nosso mais recente membro, que pacientemente, viu os seus pais se debaterem pelo título do melhor comerciante na Rota das Especiarias. É um jogo muito fácil de explicar e uma forma de introduzir novos jogadores no nosso mundo.

Chegados da cidade de Aveiro, outro grupo começou por jogar Bandido. Um jogo que cabe com certeza em qualquer mala de mão de senhora, mas que na mesa precisa de muito espaço. O jogo leva-nos em busca de um ladrão que decide escapar da prisão à moda antiga: fazendo túneis. Rápido e com pouca comunicação entre os polícias, o que pode ajudar os mais tímidos. 

Da busca pelo ladrão, este grupo passou para a descoberta de mundos desconhecidos em, Pocket of Madness. Mais um jogo de cartas, com ilustrações bonitas mas sombrias, onde tens de fazer coleção de cartas, e se fores o primeiro a ficar sem elas deixas os outros loucos, tal é a tua facilidade em explorar os novos mundos.

Terminado o Arraial, abriram-se as portas do templo de Luxor.

Uma tumba cheia de tesouros para serem explorados por saqueadores que se apressam a chegar à câmara central onde estão os valiosos sarcófagos.

À tua responsabilidade tens uma equipa de homens e mulheres, que deves ir movendo no tabuleiro, tentado não deixar nenhum para trás. No caminho encontras vários tipos de tesouros, mas alguns são pesados e precisam de mais do que um elemento da tua equipa.

O que torna o jogo diferente é que a maneira de moveres os membros da tua equipa é através das cartas que tens na mão. Ok, até aqui nada de especial, mas só podes tirar uma das cartas que está na extremidade do teu leque de cartas! Um mecanismo simples mas que abre um manancial de opções na gestão da tua mão.

O Carcassonne voltou à mesa! Um clássico dentro da nossa comunidade, que para muitos dispensa apresentações e cumprimentos.

Majesty: for the realm também saiu da caixa! 

Foram 3 os jovens regentes que se aventuraram a construir um reino melhor para os seus súbditos. Um jogo rápido e fácil de explicar, onde o objetivo é no final da 12.ª ronda ter o reino mais próspero da região.

Mais um  jogo de coleção e de card drafting com temática medieval.

Não podia faltar, nesta noite de sexta-feira 13 e de lua cheia, um mistério para desvendar. Uma das mesas juntou vários psíquicos para desvendarem o crime da mansão do sr. MacDowell. E a caixa de Mysterium foi aberta!

Nesta mansão existe o fantasma do falecido que tenta comunicar com os psíquicos, enchendo-lhes os sonhos de imagens confusas, mas que funcionam como pistas para se desvendar o assassino, o local e a arma do crime.

É um jogo coperativo, com muitas deduções e discussões entre os jogadores. Aqui a interação entre todos é fulcral.

Ao que parece estiveram bem e descobriram o caso da mansão, libertando o fantasma para a sua luz eterna. R.I.P.

A noite já tinha passado a madrugada quando se jogou o último título: Hellapagos.

Depois de um grave problema no nosso navio de cruzeiro, somos os únicos sobreviventes numa ilha. A ilha é paradisíaca, um sonho!

Tudo corre bem até que nos começa a faltar a comida e a água. E piora quando um dos nossos, em vez de ajudar a construir jangadas, decide aventurar-se no mar para resgatar alguns itens do naufrágio.

É um jogo cooperativo até que começa a faltar comida e água, depois disso parece que é cada um por si! O jogo vive das dinâmicas entre jogadores e a forma como cada um consegue negociar, quando todos lhe apontam o dedo para que seja deixado a morrer à fome.

Ahhh… tantos jogos em uma só noite. Estávamos mesmo com saudades uns dos outros!

Vem aí… Tungaru

2019/09/03

A Alley Cat Games vai apresentar em Essen um novo título chamado Tungaru.

Tungaru é um jogo da dupla Louis Malz e Stefan Malz (Rokoko) para 2 a 5 jogadores para mais de 14 anos e uma duração aproximada de 45 a 90 minutos. A ilustração do jogo é de Andrew Bosley.

Tungaru leva os jogadores aos primórdios da Polinésia. Estamos perante um jogo de colocação de dados e conversão de recursos. Um euro médio de relativa complexidade.

Os jogadores vão saltar de ilha em ilha construindo cabanas, colonizando terras, espalhando a sua cultura e trocando mercadorias. Os jogadores usam dados como trabalhadores, cartas especiais e meeples personalizados, específicos de cada tribo.

A tribo mais bem sucedida será a vencedora!

A editora procura playtesters (AQUI) para o jogo que chega ao Kickstarter em outubro deste ano.