Skip to content

Crowdfunding Area 51

2016/08/26

dTodos os anos a editora alemã Mücke Spiele organiza um concurso para novos autores. Este ano a editora lançou uma campanha de financiamento para editar o projeto vencedor da edição de 2009/2010. Trata-se do jogo de Stefan Alexander: Area 51.

pic3085535

Area 51 é um jogo para 2 a 6 jogadores com mais de 12 anos e uma duração aproximada de 60 minutos.

O jogo passa-se nos anos 50, nos Estados Unidos, na alucinante época das visitas alienígenas ao nosso planeta… “E.T. phone home”. É neste enquadramento temático que os jogadores se irão mover. O objetivo de cada um é colecionar evidências extraterrestre consideradas Top Secret e armazenando-as na famosa Area 51, uma base militar secreta no remoto deserto de Nevada.

d2d751169f2ba8981043dcac71b548d8_original

Os jogadores terão de construir e desenvolver bunkers, armas futuristas, amostras biológicas e vestuário alienígena. O objetivo principal é armazenar os artefactos mais valiosos para no final ganhar a partida.

Recordemos que a Mücke Spiele lançou no ano passado o jogo Lignum usando o mesmo método de financiamento. O jogo acabou por merecer a atenção e o destaque da Spiel Portugal que acabou por o escolher no restrito grupo dos 5 finalistas ao prémio deste ano .

Os interessados poderão participar no financiamento do jogo AQUI.

Orléans: Trade & Intrigue para breve

2016/08/23

A editora alemã DLP Games continua a aproveitar  o sucesso de Orleáns (JUG2015) para lançar a segunda expansão do jogo – Orléans: Trade & Intrigue.

14034862_10154134410224442_8332073797929945432_n

A DLP Games anunciou na sua página de facebook que a nova expansão – Orléans: Trade & Intrigue – terá novos mecanismos, um tabuleiro renovado, novas fichas de evento entre outras novidades. Esta expansão continua a ter a autoria de Reiner Stockhausen.

Esta expansão será lançada no mercado em outubro por altura da feira de Essen.

Paralelamente a este anúncio, a editora informou que já tem à venda a segunda edição da primeira expansão – Orléans Invasions. É possível comprá-la no site da editora AQUI.

JUG e JUGuinho 2016

2016/08/18
by

Como bem sendo hábito todos os anos lançamos o desafio aos nossos leitores para elegerem o melhor jogo do ano e o melhor jogo infantil do ano.

JUG_logo

Este ano os finalistas são:

JUG 2016 – Adult Game of the Year

JUGuinho 2016 – Children Game of the Year

  • Cacao – Phil Walker-Harding/ Abacusspiele
  • Clomping Creatures – Emely Brand / HABA
  • Dr. Eureka – Roberto Fraga / Blue Orange (EU)
  • Game of Trains – Alexey Konnov, Alexey Paltsev, Anatoliy Shklyarov / Brain Games
  • MammuZ – Nikolay Pegasov / Abacusspiele
  • Mmm! – Reiner Knizia / Pegasus Spiele
  • Potion Explosion – Stefano Castelli, Andrea Crespi, Lorenzo Silva / Horrible Games
  • Skyliners – Gabriele Bubola / Hans im Glück
  • Spinderella – Roberto Fraga / Zoch Verlag
  • Träxx – Steffen Benndorf, Reinhard Staupe / Nürnberger-Spielkarten-Verlag

O anúncio dos vencedores será feito dia 30 de setembro.

Aljubarrota – A batalha real

2016/07/28

Uma vista de olhos no pequeno jogo da Pythagoras, que explora a velocidade e a destreza dos jogadores.

Vídeo: The Blackboard

The Prodigals Club

2016/07/22

tpc

Sinopse:

Em The Prodigals Club os jogadores são nobres abastados que têm o capricho de desbaratar toda a sua riqueza, prestígio social e político o mais rápido possível, levando de vencida os não menos excêntricos parceiros de jogo que embarcam em semelhante porfia. No final, ironicamente, o vencedor será aquele ou aquela que conseguir ficar mais pobre!

Como se joga:

⇒ Setup

Numa primeira fase aconselha-se a jogar o jogo apenas com dois tabuleiros de competição e preferencialmente os tabuleiros de:

  • Eleições (cor verde)
  • Sociedade (cor avermelhada)

A esta versão vamos chamar a versão de iniciação, se os jogadores já conhecerem o jogo podem jogá-lo com três tabuleiros de competição adicionando aos dois anteriores o tabuleiro de:

  • Bens (cor amarelada)

A versão completa, com os três tabuleiros, vamos chamar de versão avançada.

No centro da mesa coloca-se o tabuleiro das cartas (forma triangular) e por baixo deste o tabuleiro das ações de bónus (forma de trapézio) formando um triângulo grande cujos três lados servirão para encostarmos os tabuleiros das competições (2 na versão iniciante ou os 3 na versão avançada). Por cima do triângulo coloca-se o tabuleiro de votos.

Em função dos tabuleiro de competição escolhidos seriam-se as cartas do tabuleiro central. Seguindo o exemplo de uma partida para iniciantes e usando os tabuleiro de eleições e sociedade, as cartas usadas serão as que têm a mão com o polegar levantado e a do coração partido, no verso.

Para seriar as cartas separam-se as que têm o verso branco das que têm o verso preto. As brancas colocam-se por baixo e as pretas por cima daquelas. Com o baralho formado, coloca-se no tabuleiro central (forma triangular).

Este procedimento efetua-se também com as cartas específicas de cada tabuleiro de competição, no entanto, neste caso formam-se dois baralhos: um branco e outro preto e cada um deles com cartas de 2 ícones por baixo e com 1 ícone por cima daquelas. Faz-se o mesmo com as fichas de círculo político (forma quadrangular com ícone de mão com polegar levantado), e com as fichas de bens (no caso de se jogar com o tabuleiro de competição de bens).

No tabuleiro de competição sociedade colocam-se as fichas de Dama Beatriz devidamente baralhadas e com o ícone da Dama Beatriz virada para cima.

Cada jogador recebe:

  • Um tabuleiro individual para as cartas e outro para contabilizar o prestígio social dos jogadores.
    •  A 2 jogadores:
      • 5 marcadores na sua cor (cartola), +1 se jogar a versão avançada;
      • 10 moedas e 6 fichas de bens (só em jogos com a versão avançada);
      • 1 ficha de círculo político sem ícone no verso;
      • Cada jogador coloca o seu marcador cilíndrico no número 42 do tabuleiro de votos;
      • Colocam-se as 4 fichas de nobres (forma hexagonal), 2 de homem e 2 de mulher, no tabuleiro de prestígio social; [livro de regras p.3]
    •  A 3-4 jogadores:
      • 4 marcadores na sua cor (cartola), +1 se jogar a versão avançada;
      • 4 moedas e 6 fichas de bens (só em jogos com a versão avançada);
      • 1 ficha de círculo político sem ícone no verso;
      • Cada jogador coloca o seu marcador cilíndrico no número 37 do tabuleiro de votos;
      • Colocam-se as 4 fichas de nobres (forma hexagonal), 2 de homem e 2 de mulher, no tabuleiro de prestígio social; [livro de regras p.3]
    •  A 5 jogadores:
      • 3 marcadores na sua cor (cartola), +1 se jogar a versão avançada;
      • 4 moedas e 5 fichas de bens excluindo as da cruz vermelha (só em jogos com a versão avançada);
      • 1 ficha de círculo político sem ícone no verso;
      • Cada jogador coloca o seu marcador cilíndrico no número 30 do tabuleiro de votos;
      • Colocam-se as 4 fichas de nobres (forma hexagonal), 2 de homem e 2 de mulher, no tabuleiro de prestígio social; [livro de regras p.3]

Em seguida determina-se a ordem de turno e cada jogador coloca o seu marcador na respetiva posição do tabuleiro das ações de bónus (forma de trapézio).

pic2684466_md

Em função da ordem de turno os jogadores recebem fichas de handicap numa ou mais competições:

  • Bens (versão avançada) → +1 moeda
  • Eleições → +1 voto
  • Sociedade → sobe o marcador de influência mais à direita, no tabuleiro de prestígio social individual;

Os handicaps são recebidos pela ordem indicada, ou seja, no caso de uma partida com a versão iniciante, os handicaps seriam distribuídos da seguinte forma:

  • 1º jogador – 3 handicaps: eleições+sociedade+eleições;
  • 2º jogador – 2 handicaps: eleições+sociedade
  • 3º jogador – 1 handicaps: eleições
  • 4º jogador – Não recebe handicaps!

Desenvolvimento do jogo

Uma ronda

Um jogo tem 5 rondas. Cada ronda é composta por várias fases, duas delas são específicas dos tabuleiros de competição em jogo:

  1. Setup
  2. Colocação de marcadores
  3. Ações
  4. Hyde Park (se jogar com tabuleiro de competição Eleições)
  5. Dama Beatriz (se jogar com tabuleiro de competição Sociedade)
  6. Final da ronda

[Não se aplica na 1ª ronda!] Na fase 1 – Setup – os jogadores têm de repor as cartas e as fichas requeridas por cada tabuleiro de competição em jogo de acordo com as ilustrações dos referidos tabuleiros (cartas e marcadores de rondas anteriores terão sido retirados na fase 6 da ronda anterior!)

pic2707018_md

Image Kai Molleken

Na fase 2 – Colocação de marcadores – os jogadores colocação 1 dos seus marcadores nos diferentes espaços dos tabuleiro de competição em jogo. Ao colocar um marcador num determinado espaço, os jogadores ganham as cartas ou as fichas associadas a esse espaço, porém, há espaços cujo benefício se aplica em fases posteriores (Dama Beatriz ou Hyde Park Speech).

Na fase 3 – Ações – os jogadores realização na sua vez o encadeamento de ações que entenderem necessários gastando para isso as cartas que tiverem na mão, podendo associar também fichas de ação.

As carta de bordo branco só beneficiam o jogador 1 vez sendo depois descartadas do jogo, as de bordo preto são colocadas no tabuleiro individual e podem dar benefícios todos os turnos desde que sejam ativadas. Para ativar uma carta de bordo preto basta que o jogador a baixe ligeiramente fazendo aparecer o check verde que ela esconde na posição inicial (na fase 6 todas as cartas de bordo preto são colocadas de novo em posição inicial).

pic3059779_md

Image “Kurosawa”

O tabuleiro individual só tem espaço para 6 cartas, ou seja, sempre que se deseje colocar uma nova carta e já não houver espaço, retira-se do jogo uma das 6, libertando um espaço para a nova carta.

As cartas de bordo preto têm no canto superior direito (dentro da ilustração) uma habilidade que pode ser muito variada: perder votos, descer no tabuleiro de prestígio social, ativar um símbolo (necessário consultar o index na última página das regras); na parte inferior da carta poderá haver uma habilidade condicional que ocorre sempre que uma determinada condição ocorra no jogo quer essa carta esteja ou não ativada, como por exemplo, perder 1 voto por carta de Liberal (L) jogada na sua área de jogo. Esta habilidade condicional pode beneficiar o jogador várias vezes na mesma ronda!

Há cartas que têm no canto superior direito (fora da ilustração) a silhueta negra de símbolos que concorrem para a condição de outras cartas, ou seja, pegando no exemplo anterior, a habilidade condicional da carta permitiria ao jogador perder votos sempre que este jogue cartas na sua área de jogo com a silhueta do partido Liberal simbolizada por um L sobre uma folha, ora, ao jogar uma carta com a silhueta L no canto superior esquerdo, o jogador não só executaria a ação da referida carta, como beneficiaria da perda de um voto por ter reunido a condição necessária da carta com habilidade condicional.

pic2760564_md

Image Ink

Sempre que uma carta carta é jogada executa-se a sua ação (símbolo no canto superior direito. As cartas jogadas mantêm-se em frente do jogador pois podem ser necessárias para validar as condições de outras cartas jogadas a seguir e/ou critérios para contabilização de maiorias das fases seguintes.

Nesta fase de ações usam-se também todas as fichas de ações que se tenham conquistado na fase 2 e voltam a colocar-se de onde se retiraram. Se o jogador optar por não usar essas fichas elas são devolvidas ao tabuleiro central na mesma!

Na fase 4 – Hyde Park – os jogadores vão contabilizar quantos símbolos de megafone têm nas suas cartas mais os adquiridos através da colocação de marcadores na fase 2, e em função desse valor verifica-se quem está em maioria.

Em função da ronda (marcador cilíndrico cinza indica qual das tabelas se usa)  e do número de jogadores, perdem-se pontos da seguinte forma (tabela no tabuleiro de competição Eleições):

  • Jogador(es) em maioria – perde 2 / 3 / 4 na ronda 1 / 2 e 3/ 4 e 5 respetivamente [tabuleiro de 2 – 3 jogadores] ♦ perde 2 /3 / 4 na ronda 1 / 2 e 3/ 4 e 5 respetivamente [tabuleiro de 4 – 5 jogadores]
  • Jogador(es) em 2º lugar de maioria – perde 1 / 1 / 2 na ronda 1 / 2 e 3/ 4 e 5 respetivamente [tabuleiro de 2 – 3 jogadores] ♦ perde 2 /3 / 4 na ronda 1 / 2 e 3/ 4 e 5 respetivamente [tabuleiro de 4 – 5 jogadores]
  • Jogador(es) em 3º lugar de maioria – perde 0 / 0 / 1 na ronda 1 / 2 e 3/ 4 e 5 respetivamente [tabuleiro de 4 – 5 jogadores]
  • Jogador(es) em 4º lugar de maioria – não perdem nem ganham votos em qualquer uma das 5 rondas [tabuleiro de 4 – 5 jogadores]
  • Jogador(es) em último lugar – ganham 1 voto

Na fase 5 – Dama Beatriz – os jogadores terão de executar a penalização indicada pela ficha de Dama Beatriz visível no topo do respetivo monte. Quem tiver jogado um marcador neste espaço fica dispensado desta penalização. [Explciação das fichas em pormenor na p. 9 do livro de regras].

pic2783885_md

Image GeekInsight

Na fase 6 – Final da ronda – verifica-se se algum jogador alcançou o valor zero nalguma das competições. Se alguém o tiver feito, esse será o vencedor do jogo por antecipação!

Caso contrário, os jogadores reordenam a ordem de turno, se alguém tiver jogado para os espaços do tabuleiro central que permite mudar a ordem de turno.

pic3056385_md

Image Paulo Renato

Retiram-se do jogo todas as cartas e fichas que não tenham sido usadas nessa ronda. Se alguém tiver mais de 4 cartas na mão descarta o excesso!

Move-se o marcador de ronda e recomeça uma nova ronda!

Fim do jogo

Há duas forma do jogo terminar: a antecipada (referida anteriormente) e a normal (no fim da 5ª ronda). Se o jogo terminar pela via normal pontua-se da seguinte forma:

  • Bens – Valor do dinheiro com que cada jogador termina.
  • Eleições – Valor dos votos indicado pelo marcador de votos. O marcador não pode passar o número 44, porém pode descer para lá do zero, devendo apontar-se esse valor numa folha pois a grelha não tem número para lá do zero.
  • Sociedade – Soma dos 4 valores onde estiverem as 4 fichas de nobres (2 homens e 2 mulheres).

No fim da contabilização dos diferentes itens o resultado de cada jogador é o maior dos 3 itens. O jogador com o resultado mais baixo é o vencedor!

Avaliação:

The Prodigals Club (TPC) já não é uma novidade em termos de conceito, pois é um percursor de Last Will que trouxe esta temática e este objetivo bizarro pela primeira vez em 2011, no entanto, como nunca tive o prazer de experimentar o irmão mais velho de TPC, por assim dizer, ficarei apenas pelo comentário a este título mais recente.

 Desde logo importa salientar que em termos de ilustração e materiais é tudo de elevada qualidade, conferindo ao título uma excelente experiência de jogo. O livro de regras não me parece escrito da melhor forma, podia estar mais organizado e ser mais claro. A editora preocupou-se em dar um contexto temático às diferentes ações, o que até se torna engraçado depois de se saber as regras e se voltar ao manual, mas que é manifestamente maçador na hora de aprender pela primeira vez!

O conceito do jogo é aquilo que mais me atrai: dilapidar o seu património, destruir a promissora carreira política ou denegrir a sua imagem social são objetivos que só mesmo a cabeça doente e genial de Vladimir Suchý poderia ter enquanto tema para um jogo de tabuleiro.

A esta dose de loucura cómica alia-se uma mecânica bem testada com imensa densidade estratégica e tática, onde é preciso adaptarmos a nossa estratégia as possibilidades oferecidas pelas cartas em todas as rondas. O jogo alia um conjunto de ações fixas que permitem uma estratégia a mais longo prazo e boa dose de imprevisibilidade com as cartas que todos os turnos temos à nossa disposição.

Resumidamente podemos garantir que com TPC estamos perante um excelente eurogame, que agradará a todos os amantes de worker placement, e fará as delícias de todos os que desejem desbaratar uma fortuna em ações mais ou menos imorais e reprováveis! Acresce a tudo isto a compatibilidade garantida do título com o seu antecessor (Last Will), permitindo (aparentemente) partidas de absoluta obscenidade na arte de tudo galdir!

 

Ligações:

Site da CGE  AQUI

Ficha BGG  AQUI

Vídeo (inglês) AQUI

Regras AQUI

Resumo em português AQUI

Comprar:

Philibert → AQUI

Mais um Ticket to Ride no fim do verão

2016/07/20

Um dos títulos com mais vendas ao nível mundial  é a série Ticket to Ride de Alan R. Moon que conta já com inúmeros títulos.

A legião de fãs do título tem alimentado a criação de novos títulos quase todos os anos e alegrem pois vem aí mais um para o final do verão – Ticket to Ride – Rails & Sails.

rs-box-462

Este novo título coloca os jogadores na aventura de criar ligações mundiais usando os comboios e os navios. Os jogadores continuam a colecionar cartas, desta vez podendo escolher entre dois tipos: comboios e/ou navios, com essas cartas os jogadores poderão reclamar rotas terrestres (comboio) ou marítimas (navios).

rs_world-inside-940

O jogo trará um enorme tabuleiro mundial de um dos lados e o mapa dos grandes lagos da América do Norte do outro lado.

rs_greatlakes-inside-940

Segundo a editora Days of Wonder o jogo continua a ser um deleite para famílias e amantes dos outros títulos da série. O seu preço será aproximadamente de 50€.

Para os mais impacientes as regras estão já disponíveis:

  • Ticket to Ride – Mapa Mundo: AQUI.
  • Ticket to Ride – Mapa Grandes Lagos: AQUI

 

SdJ e KdJ 2016

2016/07/18

Foram hoje divulgados os vencedores dos prémios alemães para melhor jogo do ano (Spiel des Jahres) e melhor jogo do ano para jogadores experientes (Kennerspiele des Jahres).

Na categoria principal Spiel des Jahres, o vencedor é Codenames de Vlaada Chvátil editado pela Czech Games Edition.

cnosyx9wgaa9gmk

Na categoria para jogadores experientes Kennerspiel des Jahres, o vencedor é Isle of Skye de Andreas Pelikan e Alexander Pfister editado pela Lookout Games!

cnoop5jw8aaulrh

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 179 outros seguidores