Skip to content

Nations

2014/03/03

Sint_Nations

Sinopse:

Nations coloca-nos no papel de líder de uma nação que ao longo de quatro eras históricas terá de a fazer evoluir em diferentes domínios (militar, colonial, estrutural…). Quem melhor souber gerir os seus recursos e fizer as melhores opções civilizacionais será o vencedor.

Como se joga:

No início do jogo coloca-se o tabuleiro de pontuação e o de cartas de Progresso no centro da mesa. Cada jogador recebe um tabuleiro individual (nação) e os recursos iniciais (3 trigos, 6 pedras, 6 moedas, 7 pontos de vitória (PV) e 5 trabalhadores). Adicionalmente, cada jogador coloca um trabalhador sobre cada um dos símbolos de trigo e de estabilidade (canto inferior esquerdo do tabuleiro individual).

Um jogo de Nations divide-se em 8 rondas (2 rondas em cada uma das 4 Idades do Jogo) com 3 fases cada uma:

  1. Fase de Manutenção;
  2. Fase de Ação;
  3. Fase de Resolução.

A Fase de Manutenção é composta por 5 passos que se realizam ordenadamente:

  1. Avançar o marcador de ronda
  2. Preencher o tabuleiro de cartas de Progresso
  3. Executar o crescimento das nações
  4. Revelar carta de evento
  5. Completar o espaço de arquitetos com o número adequado

A Fase de Ação é composta por 3 tipos de ações. No seu turno cada jogador escolhe e executa apenas 1 deles. Esta fase só termina quando todos os jogadores decidirem passar.

  • Comprar carta de Progresso
  • Colocar trabalhador
  • Contratar arquiteto

A Fase de Resolução é composta por 5 passos que se executam ordenadamente (6 no final de cada uma das 4 eras):

  1. Produção (Edifícios+Militar+Colónias+Maravilhas+Conselheiro)
  2. Ajuste da ordem de turno
  3. Resolução de carta de Guerra (se existir)
  4. Resolução do evento
  5. Alimentação do povo
  6. Pontuação da Era (só se executa este passo no fim da 2ª ronda de cada uma das 4 rondas)

Na fase de manutenção começa-se por avançar o marcador uma casa em seguida tiram-se as cartas de progresso que estejam nas filas 1 e 2 (inferiores) e completam-se essas filas com cartas das filas 3 e 4, de seguida, e no sentido inverso à ordem de turno,  cada jogador tem a oportunidade de fazer uma ação das duas seguintes:

  • Tirar um trabalhador da sua área de trabalho (lado inferior esquerdo), ou;
  • Receber ouro / pedra / comida (o número de materiais é variável em função do grau de dificuldade escolhido).

Antes de terminar a fase de manutenção os jogadores têm ainda de revelar uma nova carta de evento e preencher a zona de arquitetos com o número adequado, obtido pelo somatório do número de arquitetos revelado na carta de evento e os arquitetos referentes ao número de jogadores.

Em seguida passa-se à segunda fase do jogo: a fase de ações. Na fase de ações os jogadores vão executando uma ação por turno até todos passarem.

As ações passíveis de serem executadas pelos jogadores são comprar cartas de progresso do tabuleiro de cartas de progresso. Para comprarem uma carta, os jogadores têm de pagar o seu valor e respeitar as regras inerentes à sua coloção no tabuleiro individual. Há cartas específicas que têm pré-requisitos e que, por consequência, só podem ser compradas quando o jogador tiver esses requisitos.

Usar um arquiteto é outra ação que os jogadores podem escolher. Cada jogador pode comprar 1 arquiteto por turno até esgotar a reserva de arquitetos disponíveis no tabuleiro de pontuação. Os arquitetos servem para completar a construção das Maravilhas. Assim que uma Maravilha esteja concluída, a respetiva carta é colocada no espaço livre mais à esquerda destinado a esse tipo de cartas, no tabuleiro individual.

Finalmente, o jogador pode optar por mover um trabalhador dos seus, quer seja de uma carta, quer seja da sua reserva pessoal (fora do tabuleiro individual). Os trabalhadores são colocados em cartas de edifícios ou cartas militares.

Em qualquer destes momentos, ajustam-se as escalas de estabilidade social e poder militar sempre que esses valores se modifiquem pela compra ou desativação de uma carta e/ou colocação/retirada de trabalhadores.

A terceira fase é a de resolução. Nesta fase cada jogador produz os seus recursos em função da colocação dos seus trabalhadores e consome os recursos necessários à sua nação. Na eventualidade de não ter recursos suficientes, perderá livros e pontos de vitória. Em seguida define-se a ordem de turno em função da posição de cada jogador na escala militar e na escala de estabilidade social, entretanto, resolve-se a carta de guerra no caso de alguém ter adquirido uma no decurso da ronda e depois a carta de evento; consome-se o trigo em função do valor de “fome” indicado pela carta de evento e, no caso de ser a segunda ronda da Era, atribuem-se livros de sabedoria à nação com mais livros. O número de livro é variável em função do número de nações em jogo.

No final da 8 ronda o jogo termina e calcula-se a pontuação final detalhada no livro de regras. O vencedor será o jogador com mais pontos de vitória.

Avaliação:

Nations inspira-se obviamente em Through the Ages: não recorre ao nenhum planisfério e vai-nos presenteando com cartas que aparecem progressivamente em jogo conseguindo de forma exemplar reduzir as mais de três horas da sua ninfa inspiradora.

O material é ótimo, o mecanismo é excelente para quem gosta do estilo de jogos civ e é possível encontrar diferentes estratégias de vitória, no entanto, o poder militar tem uma importância muito vincada o conduz inevitavelmente a procurar as cartas vermelhinhas como se não houvesse amanhã (pelo menos connosco isso tem acontecido!).

As cartas de evento têm por vezes um impacto demasiado negativo e punitivo para quem não se previne (ou não hipótese de o fazer). Os puristas dirão que tudo se trata de trabalhar em prol da temática, mas a verdade é que para um jogo deste tipo, as consequências de um evento não deveria ter tanta influência.

Enfim, podemos dizer que as expectivas em relação a Nations eram bem maiores do que aquilo que acabámos por verificar, e como sempre, o problema não é o jogo mas as nossas expectativas… Como já alguém disse “é um jogo demasiado “curto” para gamers, e muito “barbudo” para os outros.”

Ligações:

Site da Lautapelit.fiAQUI

Ficha BGGAQUI

Comprar:

Philibert AQUI

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: