Skip to content

Gardens – Um original Devir

2014/05/21

SinteseTopBox_Gardens_final:

Editora: Devir Iberia

Autores: Perepau Llistosella

Grafismo: Pedro Soto

Jogadores: 2 a 4 Jogadores

Idade: +10 Anos

Duração: 45 Minutos

Ano de Publicação: 2014

Género: Tile Placement

Dependência Linguística: Nenhuma

Preço: €26,95

 

A Devir apresenta-nos uma novidade primaveril, um jogo produzido pela própria editora, a partir da ideia do espanhol Perepau Llistosella, o qual já nos tinha trazido “Sidibaba” e “1911: Amundsen vs Scott”, entre outros.

pic1950612_lg

Gardens é um jogo familiar para 2 a 4 jogadores (apesar de todas as faces da caixa indicarem 1 a 4), a partir dos 10 anos, cuja duração de referência são 45 minutos, os quais, após um jogo de adaptação, rapidamente se reduzem para cerca de 20. A experiência é mais aprazível quando jogado a 4, sendo este um jogo que muda bastante se for jogado a 3, pois haverá uma cor fantasma, que apenas servirá para embargar as iniciativas contrárias. A jogar a 2 torna-se extremamente tático e poderá gerar alguma AP.

pic2003974

Os componentes são de excelente qualidade e incluem tiles grandes (ligeiramente maiores que os de Carcassonne) e 8 jardineiros de recorte original. O setup é muito simples, basta distribuir por cada jogador o conjunto da sua própria cor (2 jardineiros, um tile especial e 8 pontuadores), colocar a peça de jardim inicial no centro da mesa, formar pilhas com as peças de jardim ocultas e entregar o marcador de primeiro jogador. Na sua vez de jogar, cada jogador deverá optar entre colocar o seu tile especial, retirar da pilha um tile aleatório e coloca-lo, ou abdicar de jogar para recuperar um jardineiro para a sua mão.

pic2003986

Sempre que quatro tiles se encontrem no mesmo vértice, temos um canteiro completo e poderá haver pontuação, caso haja uma cor maioritária. Se assim for, o jogador que controla essa cor deverá colocar o seu pontuador mais baixo a cobrir o canteiro; no momento em que um jogador colocar o seu último pontuador fica definido o último turno, terminando no jogador à direita daquele que iniciou a partida. Se nesse mesmo turno mais algum jogador esgotar os seus pontuadores (jogo padrão: 8; versão rápida: 6; versão longa: 10) teremos uma vitória partilhada.

pic2003975

Apesar de não ser apresentado como “area control”, nem, tão pouco, como “area enclosure”, a verdade é que estamos perante um “tile placement” que envolve um agradável processo tático, frequentemente associado a essas duas mecânicas, uma vez que, com a movimentação correta de um jardineiro (cada jogador controla dois durante o jogo), é possível assegurar que mais ninguém consegue jogar num determinado espaço, reservando-o. É essa capacidade tactica que faz de Gardens um jogo a ter em conta, distinguindo-o dos demais “tile placement”, que até é um dos mecanismos mais comuns.

pic2003976

Gardens é um jogo que roça a obra-de-arte; os tiles que os compõe são um encanto, cheios de pormenores, como patos, peixes, palmeiras, pontes e bancos de jardim, de tal modo que, mesmo ignorando as mecânicas de jogo, é possível utilizá-los ao estilo puzzle, num desafio em busca do jardim encantado… É um pouco como Carcassonne e a familiaridade entre ambos é inegável, creio até que com o devido diálogo e cooperação entre o autor e Klaus Jurgen Wrede, poderíamos estar perante um novo membro do franchise, pois encaixaria perfeitamente na nova coleção “Carcassonne: Around the World”. Se “Os Mares do Sul” transformaram o clássico num “worker placement“, então Gardens torná-lo-iam um “area enclosure”, no qual um tema da Babilónia, por exemplo, assentaria que nem uma luva!

pic2003981

Quando da brincadeira se transita para o confronto propriamente dito, Gardens não desilude. É um jogo multifacetado, com regras simples que depressa se aprendem, mas que requer as suas “manhas”. A curva de aprendizagem não é muito longa, contudo, em contrapartida a replayhability é enorme, pois as combinações são infinitas e a forma de jogar depende muito de adversário para adversário, havendo espaço para cada um definir o seu próprio estilo, com maior ou menor dose de risco.

gardens1

Avaliação:

Gardens é um jogo obrigatório que encanta do primeiro ao último tile, com componentes de excelente qualidade e uma jogabilidade simples e contagiante, que assegura longas horas de diversão em família, tanto enquanto jogo, como enquanto puzzle, até porque dizer que é um jogo para maiores de 10 acaba por ser algo exagerado, uma vez que se se jogar apenas pelos canteiros a pontuar (a essência do jogo), abdicando dos jardineiros, a partir dos 7 já será possível bastante competitividade.

Perempau Llistosella não terá inventado nada de novo, nem no estilo, nem nas mecânicas, mas este é um jogo que vale pelo seu todo, daqueles que assim que acaba uma partida apetece voltar logo a jogá-lo. Além do mais, um jogo sobre jardins e jardineiros, com papoilas e lírios, não sendo inédito, não deixa de ser raro!

Ponto Forte: A arte de Pedro Soto, irrepreensível, a começar pela capa, extremamente apelativa!

Ponto Fraco: Irrelevante, mas ficou por colocar o underscore nos pontuadores número 6 e 9, os quais são absolutamente indiferenciáveis.

pic1950681_lg

pic1892934

Curiosidades:

  • Gardens é um original Devir, contudo, os direitos para o mercado internacional pertencem à alemã Kosmos, detentora da marca Catan na Europa. Até aqui nada de novo, pois grande parte dos jogos recebem parcerias entre editoras para chegarem a cada vez mais mercados e atingirem outra dimensão internacional, no entanto, regra geral apenas varia o logotipo da editora e o manual de regras incluso, pois o jogo, na sua génese, costuma ser idêntico. Neste caso, o Gardens ibérico mal parece ser parente do pic1919907_lgGardens germânico, pois a arte é completamente diferente, incluindo os jardineiros, que mais parecem mosqueteiros; felizmente para nós, aquele que podemos encontrar nas nossas prateleiras, parece ser muito mais requintado…
  • É ótimo ter tiles grandes e resistentes, todavia, infelizmente, pic1919906_lgdessa forma o seu tamanho não permite o uso das sleeves protectoras, que bem mereciam, pois o modelo que a Swan Panasia desenhou para Carcassonne, revela-se demasiado pequeno. Talvez venham a haver na medida de Gardens, mas para já resta esperar…

 

pic2016911_lgLigações:

Site da Devir: Aqui

Site da Kosmos: Aqui

Ficha BGG: Aqui

 

Comprar:

Devir Loja: Aqui

Planetongames: Aqui

Dracotienda: Aqui

Offensive: Aqui

 

Anúncios
4 comentários leave one →
  1. farko permalink
    2014/05/27 20:15

    Gostei muito da resenha! Muito boa!

    • 2014/05/28 11:39

      Obrigado! Já experimentou?

      • farko permalink
        2014/05/28 11:47

        Não, ainda não 😦

  2. Francisco Lontro permalink
    2014/10/02 18:46

    Excelente jogo, sem dúvida. Arquitetura simples, mas desafiante. Quem o quiser experimentar e estiver pela zona de Leiria, apareça na pimpumplay (em frente ao Orfeão de Leiria) às Quartas, das 18h às 21h. Também se vende aqui: https://www.pimpumplay.pt/products/details/gardens-estrategia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: