Skip to content

Novo jogo Yucata

2014/10/21
by

No rescaldo de Essen 2014 o Yucata aproveita para lançar mais um jogo na plataforma de jogos online – Port Royal.

Image Yucata

O jogo foi implementado por Adrian Kügel. O jogo já mereceu o nosso interesse tendo sido publicado um artigo de análise.

Para quem quiser experimentar é por AQUI.

A lista dos hits – Essen 2014

2014/10/19
by

A revista Fairplay organiza todos os anos uma lista com os jogos mais apreciados pelos visitantes da feira.

Embora sempre falível, como é compreensível, este “pódio” dá para ter uma ideia daquilo que vale a pena experimentar.

Este ano a classificação ficou assim ordenada:

Foto Mac Gerdts

Desde logo destaque para Stefan Feld que consegue de novo colocar um dos seus jogos na lista e desta vez em primeiro lugar das preferências. Referência também para a What’s Your Game? que uma vez mais coloca o seu jogo num dos lugares cimeiros (3º) premiando a argúcia do editor.

Uma palavra ainda para a os belgas da Pearl Games que vão de vento em popa, editando todos os anos jogos muito apreciados, este ano o destaque coube ao novo DEUS; e para a Lookout Games que consegue colocar dois jogos na lista (Murano e Patchwork), assim como o designer francês Bruno Cathala que fez o mesmo com duas das suas criações – Abyss (Asmodee) e Five Tribes (Days of Wonder).

Quem merece um destaque especial é a pequena editora DLP Games e o seu mentor Reiner Stockhausen que todos os anos nos vai trazendo jogos muito interessantes. Este ano não fugiu à regra e o seu novo trabalho – Orléans – foi premiado com um fantástico segundo lugar no pódio.

Uma nota final para os jogos portugueses que este ano, aparentemente, não tiveram tanto destaque como em outros anos.

Para os que ficaram…

2014/10/16
by

Para aqueles, que como eu, o trabalho impede de estar em Essen nesta altura, há o contentamento de poder ir vendo fotos das novidades publicadas por diversos felizardos…

Outro motivo de interesse são as listas com a valorização dos jogos por parte dos visitantes. Há várias, mas a mais antiga é a da revista alemão Fairplay. Às 18:30 estes eram os jogos mais apreciados (apenas ordem alfabética):

  • 8-Minuten-Imperium
  • Absacker
  • Abyss
  • AquaSphere
  • Beasty Bar
  • Die Staufer
  • El Gaucho
  • Five Tribes
  • Frisch Fisch
  • La Isla
  • Machi Koro
  • Madam Ching

A seguir…

Essen 2014 – 15 a 19 de outubro

2014/10/16
by

A grande feira dos jogos de tabuleiro começou oficialmente hoje com a conferência de imprensa do diretor do evento: Dominique Metzler.

Segundo este a feira continua a ser um sucesso e este ano os número voltam a demonstrar tal constatação:

  • aproximadamente 850 novos produtos;
  • 832 expositores de 41 países;
  • 58000 m2 de área de feira (mais 10000 que no ano passado);
  • 150000 visitantes esperados

Entretanto começam a aparecer as primeiras imagens das novidades…

Créditos das fotos: Brettspielbox

Battle Sheep

2014/10/10

Sint-BS

Sinopse:

Battle Sheep coloca-nos no papel de um pastor que vai procurar colocar todas as suas ovelhas a pastar, concorrendo pelo espaço com os seus adversários. No fim ganha quem tiver conquistado mais hexágonos!

Como se joga:

No início cada jogador recebe 16 discos de ovelha na cor escolhida e 4 cartões de pastagem. Depois de escolher o jogador inicial, esse jogador começa por colocar um dos cartões de pastagem no centro da mesa seguindo-se os outros jogadores à vez no sentido dos ponteiros do relógio. Uma nova pastagem tem de tocar pelo menos num dos lados de um cartão já em cima da mesa.

Depois de todos os cartões terem sido colocados em jogo, formando uma grande área de pastagem comunitária, o jogador inicial pega nos seus 16 discos de ovelha (empilhado) e coloca-o sobre uma das casas fronteira da pastagem, seguindo-se os outros jogadores à vez e no sentido dos ponteiros do relógio.

O jogo desenrola-se por ordem de turno e cada jogador no seu turno tem de escolher um dos montes onde tem ovelhas das suas, pegar na quantidade que desejar desse monte (mínimo 1 disco, máximo todos menos 1) e deslocar essas ovelhas para extremidade das diferentes linhas que se possam traçar a partir do monte de ovelhas de onde está a partir. Um monte de ovelhas adversárias ou não constituem um obstáculo à concretização da regra anterior por isso funciona como extremidade, ou seja, sempre que um jogador não poder alcançar a extremidade oposta ao seu monte por encontrar fichas de ovelhas nessa linha, para junto a essas fichas (obstáculo).

BS1

Image rulebook

O movimento é sempre retilíneo não sendo permito zig zags no decurso do deslocamento.

Quando todos as ovelhas estiverem bloqueadas, ou não houver mais ovelhas para deslocar o jogo termina. O jogador com mais ovelhas distribuídas pela pastagem ganha o jogo. Em caso de empate ganha o jogador com o grupo de ovelhas maior (adjacentes umas às outras).

Avaliação:

Battle Sheep é um jogo abstrato originalmente editado com o nome de Splits em 2010 e que agora levou uma “pintura” temática relacionada com pastorícia. O resultado de tal mudança gráfica resultou numa melhoria notória na foram como se olha para este jogo, agora muito mais descontraídos e a apelar a um público mais jovem, no entanto… puro engano. Battle Sheep é um abstrato muito simples e engenhoso servido por material de elevada qualidade, uma caixa de cartão grosso com ilustrações muito agradáveis mas talvez desadequadas ao target que procuram alcançar.

As partidas são sempre muito tensas e rápidas e geralmente jogam-se sempre mais que uma seguidas.

Em suma, um bom jogo para introduzir abstratos com um nível de estratégia bastante interessante para quem quer conhecer este estilo!

Ligações:

Site da Blue OrangeAQUI

Ficha BGG  AQUI

Vídeo AQUI

Comprar:

Philibert AQUI

Splendor

2014/10/10

SintSplendor

Sinopse:

Em Splendor somos um joalheiro da renascença cujo objetivo é alcançar os 15 pontos através da aquisição de cartas de pedras preciosas (minas) e de fichas de nobres.

Como se joga:

No início baralham-se os 3 baralhos de cartas dos diferentes níveis (nível 1 – verde, nível 2 – amarelo e nível 3 – azul) e depois formam-se três montes. À frente de cada monte revelam-se 4 cartas de cada cor.

Image Space Cowboys

Em seguida baralham-se as fichas de nobre e forma-se um monte de onde se revelam tantas fichas quantos os jogadores em jogo +1, ou seja, a 4 jogadores revelam-se 5 fichas.

Para concluir, colocam-se ao lado das cartas as fichas de pedras preciosas formando 6 montes (verde, branco, azul, preto, vermelho e amarelo). O número de pedras preciosas varia em função do número de jogadores (a 2 – 4 pedras por monte, a 3 – 5 pedras por monte, a 5 – todas as pedras). O monte amarelo (ouro) terá sempre 7 fichas qualquer que seja a configuração. As fichas amarelas funcionam como jóquer, ou seja, substituem qualquer pedra preciosa.

No seu turno os jogadores poderão realizar uma ação de 4 disponíveis. As ações são as seguinte:

  • Tirar 3 fichas de pedras preciosas de cor diferente;
  • Tirar 2 fichas de pedras preciosas da mesma cor (só de montes que tenham 4 ou mais fichas);
  • Reservar uma carta do centro da mesa para a sua mão e receber uma ficha amarela;
  • Comprar uma carta do centro da mesa ou da sua mão (reservada).

Os jogadores nunca poderão ter mais de 10 fichas de pedras preciosas no fim do seu turno, se for esse o caso, o jogador em questão terá de reduzir o número de fichas para 10, devolvendo o que tiver a mais à reserva. Quando se pretende tirar 2 fichas da mesma cor, é preciso ter em conta que essa ação só se pode fazer se, o monte de onde se tiram as fichas tiver pelo menos 4 fichas da respetiva cor, mesmo que depois da nossa ação o monte fique com menos do que 4 fichas.

Se optar por reservar uma carta do centro da mesa, basta tirar a carta desejada de qualquer uma das três filas ou às escondidas de um dos três montes, colocando-a na mão, em seguida tira-se uma ficha amarela (ouro). As cartas ficam na mão e não podem ser descartadas. Cada jogador pode ter no máximo 3 cartas na mão.

Comprar carta implica que o jogador tenha os recursos (pedras preciosas) indicados no seu canto inferior esquerdo. Esses recursos podem ser uma combinação de fichas, cartas previamente compradas e/ou fichas amarelas (ouro) ou só uma das anteriores condições. As fichas usadas na compra regressam aos respetivos montes enquanto as pedras usadas através das cartas nunca se perdem. As cartas compradas vão sendo agrupadas pelas respetivas pedras preciosas que representam.

Image Steph (punkin312)

O alinhamento das cartas deve ser feito de forma a que os pontos de algumas delas seja visível por todos.

Sempre que uma carta do centro da mesa é reservada e/ou comprada deve ser substituída por outra do mesmo nível, exceto se já não houver cartas desse nível disponíveis, nesse caso, deixa-se o espaço vazio.

No fim do seu turno, cada jogador verifica se as cartas que tem na sua área de jogo (compradas) permitem receber a visita de um dos nobres visíveis.

Se um jogador possuir cartas suficientes para receber a visita de mais que um nobre no fim do seu turno, o jogador escolhe qual quer receber.

Image Steph (Punkin312)

Image Steph (Punkin312)
As fichas de nobre são retiradas da reserva e colocadas à frente do jogador concorrendo para a obtenção do objetivo do jogo (15 pontos de vitória). No espaço deixado vago coloca-se um novo nobre do monte (se houver)!

Assim que um jogador alcança ou ultrapassa os 15 pontos de vitória o jogo termina. A ronda é concluída para que todos os jogadores fiquem com o mesmo número de turnos. O jogador com mais pontos ganha a partida!

Avaliação:

Splendor é um familiar na sua essência, mas muito bem feito! É simples, é cativante, é rápido e é guloso, nunca se fica por uma partida só! Bem… o material… soberbo (aquelas fichas são pesadas!), as cartas parecem cartão plastificado, os encaixes interiores da caixa: sublimes; as ilustrações encantadoras, as regras bem estruturadas e o mecanismo depurado ao ponto de não se encontrarem limalhas! Um miminho para quem gosta de euros familiares descomplicados (game weight ≅2).

Partidas curtas, sempre tensas e a convidarem a mais que uma partida. Aliás este jogo presta-se muito para fazer campeonatos, à melhor de 3! Vai uma desforra?

Um reparo à seleção das cores que não facilita a vida a quem sofre de daltonismo, à inexistência de tema (o que até nem é novidade, nem um grande problema para a maioria dos jogadores de euros) e a uma dose, mesmo que moderada, de sorte.

O sucesso deste jogo já é grande, e merecido, na minha opinião. Splendor foi criado para agradar a um largo espectro de jogadores, e com todos os condimentos para o conseguir, assim como para concorrer a um lugar de honra nas prateleiras dos Spiels (a que esteve nomeado este ano!). Um jogo que aconselho à maioria dos amantes de euros familiares.

Ligações:

Site da Space Cowboys → AQUI

Ficha BGG → AQUI

Vídeo em português → AQUI

Comprar:

Amazon.de → AQUI

Philibert → AQUI

Offensive → AQUI

Zacatrus → AQUI

JUG e JUGuinho 2014

2014/10/05
tags: ,
by

É com enorme satisfação que anunciamos os vencedores do JUG deste ano nas duas categorias a concurso:

O vencedor do JUG 2014 – Adult Game of the Year é…

JUG 2014 nationsNations de Rustan e Nina Håkansson & Einar e Robert Rosén (Lautapelit.fi)

—————————————————————————————————————————

O vencedor do JUGuinho 2014 – Children Game of the Year é…

juguinho2014Ab in die Tonne de Carlo A. Rossi (Abacusspiele)

—————————————————————————————————————————

Os restantes nomeados ao JUG 2014: AQUI

Um agradecimento especial a todos os elementos do GBA que participaram na eleição do JUG 2014 bem como a todos os utilizadores do JogoEu que votaram!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 161 outros seguidores